25.11.10

Escrevendo na madruga


deixa eu te provar daquele jeito,
te provar de todo jeito,
te sentir o gosto da alma,
cheirar teu cabelo macio
seduzir teu corpo, só pra te provar no meu

deix'eu provar esse teu jeito teu
me perder
e deslizar por vc
ventre, colo,
um vento lento, sussuro... escuro
no escuro da minh'alma à luz desses teus olhos,
esses teus olhos teus, tão teus.

deixa eu por a prova,
a flor branca destes olhos,
cor morena dessa pele, tua, tão tua
beber esse cheiro tão teu
teu gosto, impregnado em meu sorriso.

--

E veio assim, ao som de enghw, na vontade de escrever, nos sorrisos, imagens boas na cabeça,
e por vezes, até que gosto que seja assim, espontâneo a medida do possível (mas ainda escrevo mais sobre isso) e possivelmente cheio de erros de português, que eu não vou consertar =P

ps.: Feliz que o post sobre meus queridos cachos tenham rendido assunto até hj =D não esqueci da segunda parte, ta no forno (é... meu forno é lento pra assar as coisas do blog) de qualquer forma, muitíssimo a todo mundo pelas contribuições aqui e fora daqui, até as piadinhas, num é mesmo Marco?!

And for you my friends...
(...)good afternoon, good evening and good bye... ;-)

3 comentários:

Doris disse...

Provar é uma ação tentadora, despertada por cada um dos nossos sentidos. Lindo o poema!

Rayana disse...

HUMMMMMMMMMMMMMMMMM.... e como diria o Marco....rsrsrs

Sr.ta D. disse...

provar cada sentido, e ser sentido na mesma intensidade.
muito lindo o poema...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...